As considerações anteriores e a conclusão: a redação UFRGS e o fato de um texto apenas.

A UFRGS repetiu a estratégia do ano anterior e optou por trazer como paradigma apenas um texto de apoio (e com isso a importância da interpretação textual por parte do candidato). Desta vez um texto de um especialista, psicanalista italiano radicado no Brasil, Contar do Calligaris, articulista da Folha de São Paulo há décadas, que tinha como assunto: adolescência e maturidade; o título: “Os adolescentes que merecemos" e a dissertação tinha como tema: uma situação fictícia, proposital, criada para colocar o discente diante do contexto: sala de aula, produção do texto e apresentação. Além disso, a opinião do aluno, diante desta criação, era fundamental e o texto dissertativo-argumentativo era vital. Tendo cimo fonte de inspiração e interpretação um dos trechos do blog (diário) de Abby Sunderland, fruto de uma família de velejadores, habitantes de um barco, que sai a velejar pelos oceanos aos 16 anos, sozinha, passa por tempestade, fica à deriva e é resgatada dois dias depois. Liberdade, comportamento familiar, crítica dos que não pertencem tal situação deveriam ser levados como critérios no momento do planejamento textual, além das analogias dispostas por Contardo Calligaris nesse texto de 2010. Mas algo que intriga e desperta o escritor dentro do aluno seria a conclusão do texto do psicanalista italiano: “Comentando a aventura de Abby, um pai me disse: ‘Nunca deixaria minha filha navegar sozinha, eu não quero perdê-la’. Pois é, não quero perdê-la em que sentindo?”. Será que é assim que evitamos a perda dos nossos filhos? Experiências pessoais, situações do cotidiano, o senso comum como forma de contestarmos o arcaísmo de determinadas privações juvenis. A liberdade, o amadurecimento, a confiança, o respeito, o diálogo são elementos fundamentais a serem inseridos no texto do aluno como ferramentas comportamentais exigidas pela banca UFRGS. Porém, o mundo violento, o zelo, a possessão, o pertencimento são sinais de que não podem ser dispensados pelo aluno e que deverão serem usados como contra-argumento ou mesmo argumentos que fundamentem a posição contrária à família Sunderland. Atenção às considerações anteriores ao texto ( conduziam o aluno à produção textual), além da pergunta na conclusão do texto do articulista da Folha seriam fundamentais para a construção de uma excelente dissertação UFRGS.


Prof. Sérgio Augusto Sant'Anna


990 visualizações
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon